segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Retorno...

Hoje,estou aqui para falar um pouco da distância.
Pra ser mais exata, a minha distância do blog.Uma coisa que criei para me expressar,expor meus sentimentos,compartilhar com quem também gosta alguns textos,poemas,pensamentos.
Pois é...às vezes,acabamos nos distanciando de pessoas que gostamos,seja qual for o motivo.
Enfim...isso também acontece com coisas que gostamos.
Vários fatores me levaram a dar esse tempo do blog e até mesmo da escrita.
Escrever,que é uma coisa que venho fazendo há tempos.Uma coisa que gosto de verdade.
Mas, mesmo assim,não consigo ficar tanto tempo longe da escrita.Sinto falta de coração.Quando as palavras começam a surgir em minha mente e vão se misturando,vai acontecendo uma enorme confusão de ideias,eu sinto que devo por pra fora de algum jeito.E o jeito que melhor sei,é esse.
Nem ao menos tenho certeza se lerão o que estou digitando.Se uma pessoa depositará um minuto da sua atenção.Se dez pessoas farão isso.Mas,se ao menos uma pessoa fizer,tudo bem.Saber que alguém lê o que escrevo é muito importante pra mim.E se ainda assim,se ninguém fizer,ao menos deixei esse turbilhão de palavras por aqui.
Acho que nesse meio tempo pude refletir bastante, e cheguei a seguinte conclusão: estar perto daquilo que gosta,fazer o que gosta,de certa forma te aproxima de você mesmo.Parece mentira,mas podemos nos afastar de nós mesmos.Seja pela falta de tempo,de percepção seja pelo rumo que sua vida está tomando.Enfim...o fato é que uma hora acabamos acordando.E pode ter certeza que se olhar no espelho e perguntar: em que momento me deixei pra trás? Ou,o que realmente estou fazendo por mim?Podem trazer um enorme desconforto,desânio.Aquela sensação de ter deixado as coisas acontecerem e ter ficado apenas assistindo.
Imagino que estou numa etapa da  vida,onde preciso tomar decisões importantes,onde preciso agir e principalmente,estou em fase de mudanças.E dessas,naturalmente não podemos fugir já que estamos sujeitos a isso todo o tempo.O  que difere uns dos outros,é o modo como se conuz tal mudança.


(Luana R. Martins)

2 comentários:

Rita Medeiros disse...

Olá minha querida!
mamãe esteve aqui e leu o seu texto!
Mudanças são necessárias e bem vindas! Mude! tranforme-se! Mudanças para melhor!!!!!

dickroicat disse...

Queria poder enxergar como os cegos
Para que meus olhos não fossem enganados pela paisagem
Desejo nunca estar cego
Para “mutuagir” o pôr-do-sol

Queria poder estar perto dos que me amam
Mas a vida preferiu os ter a distância
Do que me ter infeliz
Queria poder nunca ter sonhos
Para jamais temê-los realiza-los

Esqueceria os planos
Nem que fosse pra sonhar apenas uma vez mais
Queria não conhecer a escuridão
E o medo do ser de não poder prever o que virá

Agora o universo é luz
E só a nossa estrela pra luzir na escuridão

Todas as palavras têm o peso de seu significado
E todas as ações bebem da fonte do estimulo instintivo assediado da razão

Eu pulsei
Eu brandi
Eu poder
E aí?
O maior objetivo da vida é morrer objetivando
Mesmo que todos os objetivos terminem por morrer.

Ian em 26/07/2007.